Cadu Doné

Coluna do Cadu Doné

Veja todas as colunas

O posicionamento de Cazares e o “falso 9” de Mano

Cazares aberto pela esquerda e Pedro Rocha como “falso 9”... 

17/07/2019 às 12:42
O posicionamento de Cazares e o “falso 9” de Mano

Na coletiva após o clássico da última quinta, Rodrigo Santana disse que o melhor posicionamento para Cazares é aquele no qual o equatoriano se aproxima mais do gol, do centroavante. Entra na área. Neste setor, ele seria potencialmente mais assertivo, direto, decisivo. Concordo com essa ideia. Só não acredito que, pela esquerda, da maneira como ele atuou na derrota para o Cruzeiro por 3 a 0, o meia alvinegro contempla, na prática, aquilo que seu comandante defendeu no discurso. Tão aberto pela ponta, de modo tão fixo, as chances de Cazares ter um rompante de genialidade numa enfiada de bola, numa arrancada curta, porém suficiente para desmanchar a marcação adversária, diminuem.

Se pensarmos na possibilidade de Cazares partir da esquerda para arquitetar por dentro – e razoavelmente avançado – com considerável assiduidade, cabe dizer que ele precisaria, neste cenário, de um esforço maior para recompor pelo flanco, na medida em que, quando o time perdesse a bola, estaria em geral mais longe de lá. Para quem já não possui tanto cacoete para entregar na fase defensiva, e necessita em boa proporção de guardar o fôlego para decidir na frente, digamos que não parece inteligente adicionar mais este empecilho. Gabriel Jesus, na Copa do Mundo, como centroavante, usualmente retornava mais sem a bola para fechar a ponta do que Neymar, originalmente pela esquerda – em teoria, portanto, este último deveria auxiliar Marcelo no combate, mas como Tite não queria desgastar o principal jogador tupiniquim, seu camisa 9 realizava essa espécie de compensação. Noves fora até as possíveis discordâncias com relação a este expediente adotado por Tite, independentemente delas, seja com Ricardo Oliveira, seja com Alerrandro, dois centroavantes mais típicos, despidos da familiaridade com a beirada que tem Gabriel Jesus, não daria para o Galo fazer o mesmo.     

Alguém há de aventar que Cazares, saindo da extremidade para construir afunilando, faria algo similar ao que Robinho executa no Cruzeiro. Mas é importante salientar que o maestro celeste, ao transitar pelo centro, não funciona exatamente como um cara que se aproxima tanto do gol; logo, não seria um modelo no qual Santana poderia se basear para unir duas coisas: o que fez na prática, escalando Cazares aberto, e o que disse na teoria, argumentando que este rende melhor mais próximo da meta inimiga. Talvez a ideia de Rodrigo seja que, num 4-1-4-1, como um dos meio-campistas à frente do volante, Cazares ficaria ainda mais longe do ataque do que como atleta que faz a ponta canhota; talvez o objeto de comparação dele seja este, e não o trabalho de meia central de um 4-2-3-1 – que Cazares fez na maioria das vezes em que jogou pelo Atlético e claramente o deixa mais próximo do centroavante –, ou o de um segundo atacante de um 4-4-2; ainda assim, algum mecanismo para este jogador abandonar mais a beirada e realmente participar mais pelo centro, e no terço final, teria de ser criado para o treinador promover no campo o pensamento que sustentou na entrevista.

Em 2018, em muitas oportunidades com todos os seus centroavantes lesionados, Mano se viu obrigado a escalar um time com um “falso 9”. Thiago Neves foi o escolhido para atuar assim na maior parte destas ocasiões. Pelas circunstâncias, achava a tentativa até certo ponto compreensível, mas discordava de Mano quando ele repetia este expediente após várias partidas que mostravam como a ideia não estava dando certo. Com Pedro Rocha, o quadro é totalmente diferente. O ex-gremista tem características que combinam muito mais com o labor de um “falso 9” do que TN10: tem mais físico, arrancada, velocidade; um jogo mais vertical, de aproveitamento de espaços carregando a bola; Thiago Neves não apresenta nem esses atributos, nem aqueles mais típicos de um “9” de ofício. É mais útil ao conjunto, sem dúvida, como um híbrido de armador central e segundo atacante – e nunca como “A” peça mais isolada.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽Galo perdeu mais uma cobrança de penalidade na vitória sobre o La Equidad. Batedor oficial, Fábio Santos não estava mais em campo e Cazares desperdiçou

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️🐔 FIM DE PAPO no Indepa. O @atletico venceu o @clubdeportivolaequidad por 2 a 1 no primeiro jogo das quartas de final da @sulamericana Confira a análise do nosso comentari...

    Acessar Link