Notícias

Medidas antitabaco reduzem número de fumantes no Brasil 

Por Aline Campolina/Itatiaia , 04/11/2019 às 10:38
atualizado em: 04/11/2019 às 10:50

Texto:

Foto: Pixabay
Pixabay

Algumas medidas de combate ao tabaco, como o aumento de preços de impostos, podem ter contribuído para a diminuição do número de fumantes no Brasil. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Leonardo Brant, médico Cirurgião Torácico, afirma que o país serve de exemplo para outras cidades no mundo. “Conseguiu-se nas últimas décadas que uma média da população, que era em torno de 15% de tabagistas, hoje fosse abaixo de 10%. Então, em uma população como a nossa, é realmente um número expressivo que em outros países do mundo não conseguem”, diz.

O médico explica que essa redução é decorrente das taxas elevadas do cigarro. “Quando isso mexe no bolso de quem está consumindo é extremamente relevante. Até porque, a pessoa que fuma, não fuma só um cigarro. Então é um vício contínuo”, detalha o especialista.

Outras medidas importantes, como a restrição social, também contribuem para a redução de fumantes no país. A proibição do fumo em locais públicos, fechados (dentro do carro, restaurantes, locais específicos do aeroporto, etc.), e até mesmo as imagens nos maços de cigarro que mostram os malefícios do tabaco, influenciaram o fumante.

De acordo com Leonardo Brant, por mais que a pessoa tenha fumado por muitos anos, assim que ela deixa de fazer uso do tabaco, o corpo já sente melhorias. “Com poucas horas que você para de fumar, algumas células já voltam a ter funcionamentos diferentes de quando você está fumando, a frequência cardíaca volta para o nível ideal, e, com poucos dias, a pressão arterial já tende a normalidade, assim como a diminuição da questão de falta de ar nos exercícios. Isso vai progressivamente”, explica Cirurgião Torácico.

Mas, outros benefícios ocorrem com o passar dos anos. “Alguns benefícios são de poucas horas e dias, outros vão levar mais tempo, mas eles vão aparecer”, afirma o médico.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link