Notícias

Osteopatia: terapia com técnicas manuais ajuda a prevenir dores na coluna

Por Aline Campolina/Itatiaia , 22/10/2019 às 08:28
atualizado em: 22/10/2019 às 08:29

Texto:

Foto: Banco de imagens Pixabay
Banco de imagens Pixabay

Tem se tornado cada vez mais comum a procura por tratamentos alternativos, sem medicamentos e menos invasivos para aliviar as dores causadas por problemas de articulações, ossos e músculos. A osteopatia é um destes métodos que proporciona mais qualidade de vida ao paciente. No meio esportivo, o tratamento tem sido o “queridinho” de muitos atletas que buscam a modalidade para ajudar não apenas na recuperação de lesões, mas também na prevenção de vários desses problemas.

No Brasil a osteopatia é uma especialidade da fisioterapia. A técnica atende a cada paciente de forma individualizada. Consiste em um sistema de avaliação e tratamento que age por meio da intervenção manual sobre as articulações, músculos e ligamentos. O método, de acordo com Vitor Alvarenga, fisioterapeuta, é indicado para diversos casos. “Desde uma lesão, um desequilíbrio, uma articulação que está travada, um realinhamento como um todo. Mas a osteopatia busca, principalmente, um reequilíbrio”, afirma.
 
De acordo com o Instituto Brasileiro de Osteopatia (IBO), a busca por atendimentos pela técnica tem crescido de forma exponencial. A cada ano, mais de 100 milhões de pessoas ao redor do mundo buscam o método como forma alternativa de tratamento.
 
Vitor Alvarenga explica que, geralmente, os pacientes procuram a técnica da osteopatia para o reequilíbrio da coluna, postura, dores lombares e cervical. “Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial vai ter dor lombar um dia. Desses, 60% pode vir a ter de novo. Então, cada vez mais as dores nas costas, em geral, têm chamado atenção e as pessoas têm buscado mais esse tipo de tratamento”, diz.
 
A osteopatia também pode apresentar bons resultados para pessoas que sofrem de enxaquecas, gastrites, vertigens, insônia, refluxo, entre outros.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link