Notícias

Baile funk transforma noites de moradores dos bairros Serra e São Lucas em pesadelo

Por Redação , 12/11/2019 às 07:50
atualizado em: 12/11/2019 às 12:53

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Google street view
Google street view

Tráfico e consumo de drogas, criminosos exibindo armas livremente, trocas de tiros frequentes e consumo de bebidas alcoólicas por menores. Muitas pessoas podem imaginar que trata-se de algum baile funk do Rio de Janeiro, mas esse mundo paralelo ocorre na região Centro-Sul de Belo Horizonte, a menos de 2km de distância da avenida do Contorno, uma das mais movimentadas da capital: é o baile funk da Praça Arauto, que acontece no fim da rua Salutares, no limites dos bairros São Lucas e Serra. O lugar é conhecido como Pau Comeu.

Foi no baile da Arauto que em março deste ano criminosos foram flagrados exibindo fuzil e outras armas (veja vídeo abaixo). Dias depois, o suspeito foi preso e a PM informou que o fuzil era uma réplica. Nove meses depois, moradores da região pedem socorro à Polícia Militar. Além de toda violência, denunciam que som ensurdecedor do ‘proibidão’ começa na noite de sábado e termina apenas depois das 6h de domingo. Nesse período, a circulação de motocicilistas e carros é intensa nas ruas do bairro, em vai e vem típico das favelas cariocas. 

Em áudio enviado à Itatiaia, um morador da Serra gravou, a 3 km de distância, o barulho da festa, que não tem alvará para ser realizada. “Isso é a madrugada inteira e ninguém dorme. Se fosse só isso a gente relevava. O problema é o tráfico de drogas, pessoas armadas, troca de tiros. Semana passada um tiroteio deixou todo mundo chocado e apavorado”, relata. (Ouça aqui).

“Só tem uma solução para isso: a Polícia Militar de Minas Gerais, que é a melhor do Brasil, tem que dar um jeito. O Gepar e a Rotam têm que acabar com essa farra. Belo Horizonte não é o Rio de Janeiro. Tenho certeza que a Polícia Militar vai fazer alguma coisa. Os moradores de bem da Serra e do São Lucas estão pedindo socorro para a Polícia Militar”, diz o denunciante. 

Além do baile da Arauto, mais três festas embaladas pelo ‘proibidão’ ocorrem frequentemente em outros pontos da Serra: na rua da Água, na Praça do Cardoso e  em um lugar conhecido como Naja. Segundo fontes da polícia, todos são financiados pelos chefes do tráfico na região. 

Nota 

Procurado pela reportagem da Itatiaia, o 22º Batalhão da PM garante que “mantém policiamento ostensivo diuturnamente na rua Salutares em todo Aglomerado da Serra e Novo São Lucas, através das equipes GEPAR (Grupo Especial de Policiamento em Área de Risco), suplementados por equipes da Companhia Tático Móvel, em recobrimento, e apoiados por equipes do Comando de Policiamento Especializado (ROTAM, BPChoque, BOPE, ROCCA) e outros".

“Quanto a eventos denominados “bailes funk” que estariam sendo realizados de maneira irregular no local, a Polícia Militar esclarece que monitora esses eventos, sempre atuando quando se faz necessário, a exemplo do que vem ocorrendo em diversas oportunidades ao longo deste ano de 2019".

“A Polícia Militar esclarece ainda que vem tratando o assunto com outros órgãos também responsáveis pelo tema (COMOVEC, PBH, Ministério Público e Poder Legislativo), bem como com a comunidade e lideranças representativas das vilas, no intuito de garantir a tranquilidade dos moradores e da comunidade em geral”.

A Polícia Militar pede ainda que os moradores colaborem com informações sobre crimes e delitos em geral que possam estar relacionados a eventos irregulares, por meio de denúncia anônima pelo 181.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    ⚽ Diretor de futebol do Atlético participou do programa Mesa Redonda, da Rádio Itatiaia, neste domingo. #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O #PodTudo está no ar! Em mais uma semana de pandemia, o podcast mais democrático do Itacast discute suas consequências na sociedade e os últimos fatos relacionados a covid-19...

    Acessar Link